25/05/2017

And the Winners are...

Com um GRANDE atraso

(shame on me)


video

 Parabéns: 

- CARLA SOARES, 
- VERÓNICA SOFIA 
- TERESA RÓMULO ÁVILA


Queiram por favor entrar em contacto com a Segue-me

Muito obrigada a todos os participantes.

♥️♥️♥️♥️

23/05/2017

Então e o bolo?




Não estando perfeito, acho que correu lindamente.

Todos gostaram, em especial, o Vicente. ❤️

Ufa, safei-me! 

❤️❤️❤️❤️

22/05/2017

3 anos de Ti ♥️



Gosto de te trazer no meu colo, gostas de leitinho, pão e danoninhos, gosto de andar na rua de mão dada contigo, gostas de dormir de manhã até tarde, gosto de te beijar, gostas do Darth Vader, gosto de te abraçar, gostas de vestir o casaco, gosto de te abraçar prolongadamente, gostas de "cúdilos" e "tarugas", gosto de te cheirar, gostas de ir ao cinema e à praia, gosto de sentir a tua pele, gostas de dormir na nossa cama, gosto de te contemplar, gostas de saber para onde vais e com quem, gosto de te cheirar, gostas de perguntar porquê, gosto TANTO de gostar de ti!

Sabes lá tu meu amor, do quanto me orgulho em ser Tua, em seres Meu!

Parabéns meu querido filho, TODOS os dias da tua vida felizes. 

Eternamente grata por te ter na minha vida.

♥️♥️♥️♥️

17/05/2017

A contar os dias...

Para o 3º aniversário do V.  

(3? mas 3? a sério que são 3?)

E já a começar a pensar nos preparativos para a festa. 

Cá em casa nunca se compram bolos de aniversário, são sempre "Home Made", tentamos, sem grandes fundamentalismos, que sejam saudáveis, apelativos e bonitos e mesmo que corram mal pelo menos sabemos que foram feitos com muito amor e dedicação. 

Este ano, passou-me pela cabeça comprar um bolo, acho que ele ia adorar ter um bolo temático e vi bolos maravilhosos, mas confesso que os preços disparatados versus qualidade acabaram por me fazer desistir desta ideia.

E acho que este ano, e para quem não estava com vontade para grandes coisas vamos arriscar qualquer coisa deste género: 

Fonte: Pinterest 

Fonte: Pinterest

Fonte: Pinterest

Muito tentada a optar por este último. 

Para quem não queria fazer o bolo em casa, parece-me que me estou a meter por caminhos complicados. 

♥️♥️♥️♥️

11/05/2017

Dos projectos mais giros e um giveaway...

A M. do nada começou a falar muito do T, que é amigo, que brinca com ele, que gosta muito dele, e blá blá blá T. e T...

Coicidência ou não, a Mãe do T. aparece no meu feed pessoal do Facebook como sugestão de amizade.

Como já tínhamos trocado conversa na escola uma vez ou duas tomei a liberdade de convidar a S. para ser minha amiga no Facebook. 

Reparo então, que a S. é a mentora da marca Segue-me que já conhecia desde o Verão passado.



Segue-me é a marca de pulseiras de segurança para crianças, dos 1 aos 12 anos, personalizadas com o número de telemóvel dos pais.

Deixar de saber de um filho, mesmo que por alguns instantes, provoca um sentimento avassalador, aos pais e também às crianças. 

Segundo os manuais de Segurança Infantil, é fundamental que as crianças aprendam cedo o número de contacto dos pais. 

A Segue-me surgiu pela necessidade de as proteger e educar. Porque situações inesperadas acontecem, ali está o seu contacto! E eles vão decorá-lo num instante!

Cada pulseira é totalmente personalizada, ajustável com um nó à medida do pulso da criança, muito confortável e resistente à água.

Este é para mim um projecto muito interessante que deve ser partilhado, afinal de contas quem nunca apanhou, ainda que por segundos, um enorme susto com os filhos?! Ainda para mais as pulseiras são tãooo giras que eles não as vão querer tirar. 



A M. já tem a dela, diz que foi o T. que lhe deu e vinha toda ela numa alegria :-) 

Por tudo isto, desafiei a S. para um giveaway, e não vamos ter 1, nem 2, mas sim 3 vencedores, vamos ter 3 pulseiras à escolha para sortear :-) 

Para se habilitarem a ganhar uma pulseira Segue-me basta fazer o seguinte:

1. Fazer LIKE na página de facebook da Segue-me
2. Fazer LIKE na página de facebook do Crónicas de uma grávida acamada
3. Fazer LIKE neste post
3. Mencionar 3 amigas/os nesta publicação
4. Partilhar publicamente no Facebook 

Podem participar até às 24h00 de 3ª feira dia 16 de Maio.

A/O vencedora/o será seleccionada/o via Random.org e será anunciada/o dia 17 de Maio próxima 4ª Feira.

Só é válida uma participação por pessoa 

Nota: As participações deverão ser feitas na página de facebook do blog.

Agora, tudo a participar e a partilhar, para isto correr bem com a possível, "futura sogra" da M.! :-)

Boa sorte!

♥️♥️♥️♥️

09/05/2017

Ainda do Dia da Mãe...

(Foto possível do dia da Mãe)

que não teve qualquer destaque neste blog porque a Mãe decidiu pura e simplesmente pirar-se.

Se me custou? Até porque não estive com eles no Dia da Mãe?! 

NÃO! 

Custa-me muito mais andar cansada e sem paciência para eles e ter noção disso mesmo, noção de que não estou a ser a melhor porque me estou a deixar levar pelo cansaço e pela falta de paciência.

Se és daquelas Mães que te sentes incapaz de deixar o teu filho com alguém só para ir passar tempo com o teu marido, ou se és daquelas Mães que te sentes incapaz de deixar o teu filho com alguém porque te achas incapaz de desligar, ou se és daquelas Mães que te sentes incapaz de deixar o teu filho com alguém porque não consegues ir descansada e confiante, ou se és daquelas Mães que ficas com sentimento de culpa por ires e o teu filho ficar, lembra-te que um dia eu também já fui uma Mãe como tu, uma Mãe cansada e cheia de desculpas para não ir.

Mas um dia, toldada pelo cansaço, decidi ir e foi bom. 

Porque também eu defendo a máxima que se os Pais estão felizes os Filhos estão felizes.

E quando estamos felizes, também nos sentimos muito MAIS, com MAIS paciência, MAIS energia, MAIS capacidades e logo MAIS capazes. E tudo fica MAIS fácil, MAIS simples...

Só custa a primeira vez e o dia da Mãe foi no domingo, na 2ª, na 3ª, na 4ª, na 5ª ...

Permite-te que sejas feliz e que te rejuvenesças. Por isso, vai!

♥️♥️♥️♥️

04/05/2017

Até já...


Fazer isto há um ano e meio atrás era impensável, mas enquanto os filhos crescem, as Mães amadurecem e vamos sabendo que há alturas que é preciso deixa-los mesmo que seja o fim de semana do dia da Mãe. 

Vou ter com ele e fingir durante quatro dias que somos só namorados e que não temos responsabilidades.

E vai ser bom ❤️

Até já 🇳🇱

❤️❤️❤️❤️

03/05/2017

Fazia isto todos os dias...

Eu sei que este post é meio egocêntrico mas caramba... convidarem-me para me por atrás de uma câmera fotográfica é desafio que muito dificilmente recusaria.








Lembro-me de reagir assim a uma câmera fotográfica desde sempre, procurar alinhar o cabelo, endireitar a roupa, sorriso em riste e em instantes estou literalmente a "namorar" a lente de uma máquina fotográfica.

Quando surgiu o convite do Luís Silva Campos, fiquei genuinamente feliz porque havia já algum tempo que me havia deixado destas lides e tinha saudades e também porque o ia fazer ao lado de duas pessoas que adoro, que para quem ainda não conhece (o que duvido) podem conhecer aqui e aqui , as minhas Rita´s. 

O Luís é fotógrafo de profissão e foi na qualidade de embaixador FujiFilm para a câmera GFX50s que nos convidou para em conjunto testarmos esta nova câmera. 

O Luís além de excelente profissional revelou ser uma pessoa de muita paciência e boa disposição. 

Quanto à câmera, Luís não sei como foi para ti, mas para nós foi maravilhoso. 

E que venham muitas mais máquinas para testar e eu o prazer de ser a cobaia, porque eu...

Eu fazia isto todos os dias! 

♥️♥️♥️♥️

Contactos:
Luís Silva Campos Photgraphy
Site: www.luissilvacampos.com   
Email: info@luissilvacampos.com 
Instagram: @lscascada



24/04/2017

O melhor do meu dia #5

Nunca peço que partilhem o blog, nunca peço que convidem os amigos dos amigos, nunca faço publicações ou patrocínios pagos. Talvez seja um pouco tímida neste assunto, faz parte do meu modo de estar na vida estar quieta no meu canto e não gostar de me impor. Deixo as coisas andar...

Receber emails como o da S. faz-me, mais do que ganhar o dia, faz-me acreditar que afinal ainda bem que fiz nascer este blog e decidi contar a minha história. 

A S. escreveu-me há um ano pela 1ª vez, fomos trocando emails no decorrer da sua gravidez, depois o E. nasceu e ontem escreveu-me e disse-me:


Será que algum dia este obrigada chegará?

Primeiro desculpe a hora do envio do e-mail,mas de facto é a única hora mais calma para lhe escrever... e não tenho muito tempo, que não tarda está me a lembrar de que estou aqui para o servir! 

Olaaaaaa!!! Um ano passou desde que fui mandada para a cama!.. para além de ter olhado para aquele pirralho e me correrem as lágrimas num misto de amor e de pesar por ter sofrido tanto sem necessidade, só me lembrei de lhe escrever...

Porquê esta ligação? Não me pergunte..não sei explicar... mas o que é certo é que assim foi e também o faço com as lágrimas a correr...

Acho que quaisquer palavras que escreva não conseguirão descrever a minha gratidão!

Obrigada por ter um blog, obrigada por ter descrito a sua vivência, obrigada pelo carinho, obrigada por me ter feito sentir Mãe... obrigada por ter acertado em tudo o que me disse!

Um ano depois até acho que estou a ser uma Mãe do caraças, e de facto é espetacular! Valeu cada segundo na horizontal e fui estupidamente bem recompensada!

Espero de coração que estas palavras a abracem com toda a força com que lhas estou a escrever, e espero sinceramente um dia poder vir a dar-lho!

(Amo o meu texugo de uma forma que não julguei ser possível!)

Um grande beijinho meu e do E!
S.
❤❤❤

P.s. Só mais uma ajuda... sabe por acaso como fazer um bebé dormir a noite toda? É que se souber... Aiiiii que eu aí, porra, não mando e-mails a agradecer lhe. Eu PAGO-LHE!!!!!

21/04/2017

Não sei o que a vida quer de nós...



...mas testo-a todos os dias nas nossas peles deixando-nos ser cobaias do tempo. 

Não sei adivinhar-nos um dia mas sei o que cabe e o que não cabe nas nossas horas, no nosso tempo. 

E mesmo não sabendo o que a vida quer de nós vamos andando na imprevisibilidade do caminho mas como quem já sabe cair, como quem já sabe recuar, como quem já  sabe que os passos poderão ser incertos mas sempre com a certeza e esperança de que juntos daremos muitos mais passos certos, ainda, e sem saber, o que a vida quer de nós!

(eles já estão a contar os dias ❤️)

❤️❤️❤️❤️

18/04/2017

Sou amiga de uma Mosca!

- Já sei que hoje o almoço foi sopa de legumes, carne com massinha e maçã.
- Como é que sabes Mãe? 

- Já sei que hoje te portaste um bocadinho mal no recreio.
- Como é que sabes Mãe? 

- Já sei que hoje a tua amiga C. fez anos e tinha um bolo das Winx. 
- Como é que sabes Mãe? 

- Já sei que hoje fizeste um desenho muito bonito.
- Como é que sabes Mãe?

até que um dia lhe contei a verdade...

Não, não contei que a ementa semanal estava afixada na porta da escola. 

Assim como não contei que assim que chego alguém me alerta para o que fez de melhor ou de pior no decorrer do dia, nem tão pouco que tenho números de telefone trocados com a Professora J.

E também não contei que falo com alguma frequência com algumas Mães dos seus amiguinhos. 

Também eu fui alvo desta técnica que a minha Mãe utilizava e que, confesso, acreditei até tarde.

A cara de espanto dela a cada vez que a confronto com algo que supostamente não deveria saber revela crença nesta minha grande tanga. 

Tenho uma Mosca que é minha amiga e a quem peço que a observe e veja tudo o que faz para depois me vir contar. 

- Mãe, eu hoje vi a tua Mosca. 
- Eu sei, ela disse-me que olhaste para ela. 
- Ela deu-te o meu recado? 
- Claro que deu!
- E era o quê?  

Busted!

(para também não teres a mania que és esperta)

♥️♥️♥️♥️

17/04/2017

Oh Filha/o…

No seguimento do post: Oh Mãe...


Anda! Vamos embora! Despacha-te! Come! Cala-te! Ouve a Mãe! Vá lá! Tu não me enerves!, Ai Ai Ai, mas tu queres ver?! Vai para a cama! Se eu vou ai! Dá um beijinho à Mãe! Já estamos atrasados! Come tudo para cresceres! As cenouras fazem os olhos bonitos! Deita-te! Já te disse hoje que te adoro? Agora! Já! Imediatamente! Obrigada! A Mãe é que sabe! Se eu me levanto! Come que isso não tem espinhas! Gostas sim! Estás a ouvir? És surda/o? O gato comeu-te a língua? Vá não chores! Já passou! Quem é que tem a/o filha/o mais querido? Gostas da Mãe? A Mãe ajuda! Ajuda-me sff! Arruma tudo! Come que não está quente! Não tenhas medo! A Mãe está aqui! Dá-me a mão!Não corras! Tu vais cair! Rápido! Tem calma! Queres ir de castigo? Vais apanhar! Dorme bem! Faz o que te digo! Já para a banheira! Sai da agua! Vais ficar com frio! Veste o casaco! Está calor! Tira o casaco! Calças os sapatos! Tira os pés do sofá, tira os sapatos! Põe o chapéu! Em casa não se anda de chapéu! Dá um abraço à Mãe! Sai de cima de mim! Agora a Mãe não pode! Falo chinês? Senta-te! A Mãe já vai! Estou farta de te chamar! Filha/o querida/o da Mãe! Mau mau Maria! Bem bem! Aiiii a/o menina/o! A Mãe gosta de ti até à lua! És a/o melhor filha/o do mundo! És (são) o Amor da Mãe!

♥️♥️♥️♥️

13/04/2017

Deixa o Sol entrar!

                                   

Deixa-o alcançar as tuas lembranças, atravessar as cortinas do teu corpo, deixa-o abrir as gavetas das boas memórias onde emanam os cheiros da infância. 

Deixa o Sol entrar e diluir o cansaço, levar embora os medos e esmorecer a ideia de que só existe uma verdade, deixa-o mostrar que há várias formas de ser feliz. 

Deixa o Sol entrar hoje, amanhã, depois de amanhã e depois e depois e depois... 

Deixa o Sol entrar!

(Estou de volta. Tinha saudades disto)

♥️♥️♥️♥️

24/03/2017

Eles cá... eu lá...

... do outro lado do mundo sozinha.

É este o desafio que se avizinha para os próximos 9 dias.

A dúvida, o medo da saudade, o impacto desta ausência na vida deles, é isto que o meu peito carrega.

Pergunto-me o que lhes irá passar pela cabeça? Como vão gerir os dias sem mim? Vão comer? Vão sentir a minha falta? Vão chorar? Vão dormir? Vão perguntar por mim? Vão suportar a minha ausência com tanta dificuldade como eu?

Hoje enquanto dormirem vou ligar o meu coração ao vosso com um fio invisível e trocar uma parte do vosso coração com o meu, levo o vosso cheiro e o toque da vossa pele.

Sempre que sentirmos saudades uns dos outros, vamos fechar os olhos e imaginar que estamos abraçados e quando falarmos ao telefone vou perguntar-vos se sentiram o meu abraço como eu vou sentir os vossos.

Eu vou para o outro lado do mundo mas o meu mundo fica aqui.


Até já meus amores. ♥️

♥️♥️♥️♥️

11 anos de Nós ♥️



Foi (ontem) há 11 anos atrás que alguém tirou esta fotografia e embora pareça revelar alguma coisa, na realidade ela não revela absolutamente nada, porque aquilo que aqui parece supostamente óbvio na realidade e na altura não o era. 

Não era óbvio que eu viria a casar contigo e muito menos óbvio que virias a ser o Pai dos meus filhos.

De "mundos" e com uma forma de estar na vida diferentes, ficarmos juntos era altamente improvável.

Brincava no outro dia a minha querida C. C. a propósito de uma crónica sobre a Amadora e das pessoas que ali moram que a nossa história dava toda uma crónica, toda uma short story que ela própria contruiu:

"Ela frequentava as pastelarias da Avª da igreja, ele bebia bejecas na praça da igreja; ela ia comprar vegetais ao mercado 31 de Janeiro, ele ia comprar substâncias ilícitas ao 6 de Maio (Atenção isto é humor, HUMOR); ela comprava na Guerra Junqueiro, ele comprava nos Guerreiros (private para quem é da Amadora), ainda assim foram felizes para sempre!"

E até somos, à nossa maneira, se calhar há dias em que me apetecia começar a receber a pensão de viuvez uns 50 anos mais cedo, assim como há dias que se me aparece o Clooney, o Beckham, o Pitt ou o Ronaldo te enganava, mas também há outros em que claramente assumo que a minha vida sem ti não fazia sentido.

♥️♥️♥️♥️

21/03/2017

Três Anos de Blog!


Porquê que tens um Blog?

Perguntam-me tantas vezes!

Explico sempre que não nasceu porque estava na moda, e eu queria entrar nela, ou porque simplesmente achava que podia ser giro ter um blog. 

Este blog nasceu de uma necessidade física e psicológica,  e acho, que ainda hoje, há pessoas que não percebem isso.

A certa altura, achei, que depois do V. nascer acabaria por aos poucos começar a morrer porque achava que não tinha palavras suficientes para o manter, mas a vontade de o alimentar cresce em cada partilha que faço e sem dar por ela acabo por chegar aqui, a três anos deste blog. 

Confesso que sei que não tenho nada de novo a acrescentar a este mundo da blogosfera, no limite as minhas partilhas podem vestir a pele de alguém, proporcionar um sorriso ou até, arrisco, arrancar um suspiro, mas pouco mais que isso. 

Mas há uma coisa que eu tenho a certeza que vou acrescentar, vou acrescentar palavras e memórias na vida dos meus filhos, palavras e memórias onde eles consigam encontrar quem somos e como fomos um dia, palavras e memórias que procuro eternizar.

Enquanto eu tiver esta vontade de enriquecer a vida dos meus filhos com palavras e memórias, esta vontade de fazer delas como que uma herança, este blog vai com toda a certeza continuar a existir. ♥️

Obrigada por alimentarem esta minha vontade!

♥️♥️♥️♥️

Podem ler também:

08/03/2017

Conheces alguém...

- Que aos 18 anos use fraldas? 

- Que aos 18 anos durma na cama dos Pais? 

- Que aos 18 anos beba biberão? 

- Que aos 18 anos queira chucha? 

Perguntava eu a uma amiga que comentava comigo que o filho de 4 anos ainda bebia leite no biberão e usava fralda para dormir. 

Ai também és dessas? - perguntava-me ela.

Sim também sou dessas que me estou completamente a borrifar para os timings "supostamente" certos. 

Cada criança tem o seu! 

♥️♥️♥️♥️

07/03/2017

Ainda sobre o Pipi!

No seguimento deste post, recebi alguns emails e mensagens com o mais variadíssimo teor e conclui que há ainda muitas mulheres a sofrer de problemas no Pavimento Pélvico mas que por vergonha ou falta de conhecimento nada fazem.

Ainda no seguimento desse post conheci a Fisioterapeuta Catarina Cabrita especialista de fisioterapia na Saúde da Mulher, que acompanha uma amiga profissional de saúde que após dois partos difíceis recorreu aos seus cuidados e que me falou do quanto era competente e profissional e eu não hesitei em convida-lá para escrever este post com a finalidade de dar resposta e quem sabe ajuda, a quem me escreveu.

E a Fisioterapeuta Catarina Cabrita presentou-nos a todas com esta maravilhosa explicação que espero que seja útil e inspiradora:

A Fisioterapia Uro-ginecológica (ou Fisioterapia da Saúde da Mulher, ou Reabilitação Perineal) é uma área da fisioterapia que visa avaliar, prevenir e tratar disfunções que surjam no Pavimento Pélvico (PP) durante a vida da mulher.

Desde que comecei a trabalhar nesta área em concreto, quando me perguntam o que faço a reação é (quase) sempre: “O quê?! A fisioterapia faz isso?”, E de facto é uma área que tem vindo a crescer em Portugal mas que ainda tem muitos tabus e barreiras a quebrar para que as mulheres recorram a ajuda especializada quando se encontram com disfunções pélvicas.

Por exemplo, quando uma mulher sente uma perda de urina, seja ela muito ligeira ou enorme, a tendência é pensar para consigo: “É normal, estou grávida!”, “É normal, tive um bebé há tão pouco tempo…”, “É normal, já tenho idade para estas coisas…” Mas NÃO É NORMAL! Isto pode ocorrer porque o seu Pavimento Pélvico não está a funcionar em perfeitas condições.

Mas e então o que é isto do Pavimento Pélvico?

O Pavimento Pélvico ou Períneo é um grupo muscular localizado na região pélvica (desde o púbis até ao cóccix) de homens e de mulheres. Ele suporta o peso de todos os órgãos pélvicos e abdominais e mantém-nos no seu lugar quando o corpo é sujeito a aumento de pressão abdominal (por exemplo: tosse, espirro ou riso) ou a um grande impacto (como acontece durante um salto ou uma corrida). No caso das mulheres em específico, o Pavimento Pélvico tem outros desafios pela frente: a Gravidez (onde lhe é pedido que suporte também o peso do bebé, do útero, do líquido amniótico, da placenta) e o Parto Vaginal (em que ocorre um esforço enorme do períneo e onde pode ser necessária uma episiotomia – corte realizado no períneo para ampliar o canal vaginal). Imagine só a exigência pedida a um grupo muscular que se calhar a maioria das pessoas nem dá assim tanta importância!

No caso da mulher, podemos visualizar o Períneo como um “8”, sendo que o círculo de cima envolve a abertura da vagina e da uretra e o círculo de baixo envolve a abertura do ânus (ver imagem). É então um protagonista no que diz respeito ao controlo dos esfíncteres.




Pede-se a um períneo saudável que seja forte, resistente e que tenha elasticidade, no entanto, ao longo da vida – pela idade, exercício físico de alto impacto, falta de exercícios específicos, gravidez, parto – os músculos do períneo vão cedendo e a rede de suporte vai ficando cada vez mais fraca, e podem aparecer problemas de incontinência urinária e/ou fecal, prolapsos da bexiga ou do útero… É por isso muito importante tomar conta dele durante toda a vida!

As disfunções que podem afetar o Pavimento Pélvico podem ser:
  • Incontinência urinária (de esforço, urgência ou mista)
  • Disfunções Sexuais (dor/dispareunia, vaginismo, vulvodinia, disfunção orgásmica…)
  •  Prolapsos viscerais (“queda das vísceras: bexiga, útero ou reto”)
  • Disfunções Fecais
  • Pré e pós-cirúrgico (uro ginecológicas, prostatectomia, hemorroidectomia…)

Há muito a dizer sobre o Pavimento Pélvico, mas para resumir estas são as suas principais funções durante a nossa vida:
  • Suporta os órgãos da região pélvica e abdominal;
  • Suporta o peso do bebé durante a gravidez;
  • É responsável pelo encerramento dos esfíncteres da uretra e do ânus, prevenindo Incontinência Urinária e/ou fecal;
  • Suporta a bexiga, o ânus e a vagina, prevenindo prolapsos da bexiga ou do útero;
  • Para além disto, um períneo forte e saudável reduz os riscos de rutura muscular do mesmo durante o parto, torna a recuperação pós-parto mais rápida e melhora a qualidade da vida sexual.

É por estas razões e pelos desafios que o Períneo da mulher enfrenta ao longo de toda a sua vida que é tão importante treinarmos os músculos do pavimento pélvico, de forma correta, desde sempre e para sempre!

Se tiver alguma dúvida sobre prevenção ou tratamento de alguma disfunção do Pavimento Pélvico procure ajuda de um(a) Fisioterapeuta especializado(a) em Saúde da Mulher, ele(a) saberá como ajudá-la!

Fisioterapeuta Catarina Cabrita
Tel: 916348018

Muito Obrigada Catarina ♥️

♥️♥️♥️♥️

01/03/2017

Porquê? Mas porquê?

Hoje escrevo este post para um dia mais tarde me lembrar que o V. está neste momento na hilariante fase dos porquê’s e questiono-me se não está este menino a ser precoce quanto a este assunto.

A M. também teve uma fase destas (ainda tem e estou em crer que vai ter sempre, assim como ele) mas não com o fervor com que o V. a está a passar e com pena não me recordo quando a começou.

- V., veste o casaco.

- Puquê?

- Está frio.

- Puquê?

- Porque estamos no Inverno.

- Puquê?

Tento explicar as 4 estações de forma a que uma criança de 2 anos entenda, mas não resulta, em cada afirmação minha surge um porquê e confesso que com ele está a dar luta e está a ser um desafio, não se convence nem se contenta facilmente.

Porquê? Porquê? Porquê?

Sei que não o faz com a intenção de querer ser “chato” ou porque não ouviu todas as respostas que dei aos seus porquê´s, já percebi e já sei que o faz porque quer perceber-se a si mesmo, perceber os outros, perceber a forma de agir e de funcionamento das coisas, basicamente, quer perceber tudo ou quase tudo que o rodeia.

Procuro ter sabedoria para responder de forma eficaz e esclarecedora aos seus porquê´s, mas essencialmente procuro ter paciência, que ao fim de muitos porquê´s começa a escassear.

Enquanto conduzo:

- Mãe, pára o carro.

- Não posso parar aqui.

- Puquê?

- É proibido.

- Puquê?

- Os policias não deixam.

- Puquê? Xão maus?

- Não.

- Então pára o carro.

- Não posso.

- Puquê?

Haja imaginação mas… voltando à paciência, (e que me aponte o dedo a Mãe que já não perdeu a paciência com os porquê's e que acabou com um: Porquê Não! para acabar a conversa), é necessário manter a calma e permanecer o mais serena possível para que ele não perca a confiança de me continuar a questionar com os seus porquê’s e continuar o seu processo de aprendizagem e descoberta junto de mim.  

Por isso:
  • Tento evitar o silêncio ou ignorá-los e procuro ouvir com atenção e responder sempre com imenso interesse a todos os porquê's;
  • Quando não sei a resposta digo convicta que não sei e tento transmitir que não saber tudo não é um problema e sugiro que juntos vamos tentar responder à pergunta;
  • Não critico os porquê´s, nem faço deles um tabu e tento dar respostas adequadas à idade e maturidade deles;
  • À excepção do Pai Natal e da Fada dos Dentes (vá também temos que dar alguma magia à infância) tento não elaborar respostas “fantasia” para que um dia mais tarde não me acusem de ser uma grande mentirosa;
  • Tento (e aqui às vezes não consigo) não dar a resposta antes da pergunta que já sei qual vai ser.

E vocês? Como "se safam" desta fase dos porquê´s dos vossos filhos? 

♥️♥️♥️♥️

20/02/2017

Vamos falar de pipis?

Quando me pediram para escrever sobre este assunto não hesitei...

Passado um tempo de ter ficado grávida da M. decidi começar a fazer ginástica pré parto e comecei a ouvir falar em assuntos sobre os quais nunca tinha antes pensado tais como a necessidade do fortalecimento do pavimento pélvico.

- "Procurem na net tudo sobre Kegel"
- "Imaginem que introduzem o dedo no pipi e agora comprimam o dedo"
- "Agora vão para casa e treinem enquanto estão a ver televisão"

Era desta forma que era explicada a forma de fazer alguns exercícios o que por vezes resultava para algumas mulheres em risinhos pequeninos, duvidas para outras e constrangimento para tantas.

A questão é que o desenvolvimento deste conjunto de músculos é muito mais importante do que parece e não só durante a gravidez, porque este é um conjunto de músculos que suporta todos os órgãos reprodutores e de função urinária. 

Sabiam que, os desportos de alto impacto, o envelhecimento, a gravidez e o parto, ou até mesmo ficarem sentadas ao computador durante todo o dia, são factores que podem contribuir para o enfraquecimento do pavimento pélvico? 

E sabiam que o enfraquecimento do pavimento pélvico pode resultar em incontinência urinária, descida dos orgãos como a bexiga, recto ou útero ou até mesmo a perda de desejo sexual?

Mas eis que surge o Elvie que veio revolucionar não só os exercícios do pavimento pélvico mas também a forma de os realizar.



O Elvie é inserido como um tampão e liga-se à app através do Bluetooth. 

O sistema patenteado de sensores de movimento e força do Elvie medem o movimento dos músculos do pavimento pélvico e a app permite-lhe ainda visualizar os exercícios, monitorizar o seu progresso e corrigir a sua técnica em tempo real. 



Cada exercício de cinco minutos, foi concebido por peritos da Imperial College London e da Universidade de Oxford e são recomendados por fisioterapeutas, obstetras e PT de todo o mundo.

O facto de ser ergonómico, discreto e portátil permite que faça facilmente parte da rotina de qualquer mulher, em particular, das Mães que experienciam partos difíceis que lhes trazem mazelas físicas que interferem em particular com a vida sexual.

Um grande uauuuuuuu para o Elvie que vem sem dúvida facilitar e desmistificar este assunto!

P. s. Fiquem atentas em breve terei um para oferecer.

♥️♥️♥️♥️

17/02/2017

As Mães de hoje...

A minha Mãe mal lê o meu blog.

Diz que, por não ser adepta das novas tecnologias não o faz de forma diária e que o lê quando calha ou quando se lembra, e que depois lê todos os posts de uma só vez. 

Às vezes pergunto-lhe o que acha, encolhe os ombros, não comenta, quase que arrisco a dizer que não acha piadinha nenhuma ao blog nem ao que escrevo.

O pouco que comenta, diz não concordar com esta nova forma de encarar a maternidade, que as Mães de hoje são complicadas, são picuinhas, são estupidamente competitivas entre si.

E pergunto-lhe como era ser Mãe na altura em que foi, aparentemente, no passado, as Mães cobravam-se menos, eram, talvez, menos complicadas, não havia qualquer tipo de competição entre si, e que eu não posso falar muito porque eu não sei o que é lavar fraldas à mão, além disso as Mães de hoje, têm acesso a mais informação e até têm a vida bem mais facilitada porque antes não existiam fraldas descartáveis ou papinhas prontas.

É verdade que temos mais informação, é verdade que existem papinhas prontas e também é verdade que existem fraldas descartáveis.

Mas eu sou uma Mãe de hoje e para compensar, nos dias de hoje temos uma pressão sobre as múltiplas facetas da identidade feminina e quase que arrisco a dizer que o que nos rodeia agora é muito mais complexo, as Mães de hoje que são como que “esmagadas”, têm que dar conta dos filhos, do marido, da casa e ainda ser bem sucedidas no trabalho, as Mães de hoje que têm que trabalhar porque lhes é cobrada a obrigatoriedade da contribuição financeira na casa e por outro lado, algumas são acusadas de abandonar a família em busca de uma carreira, as Mães de hoje sujeitas a muitas cobranças, diversas funções simultâneas, sejam elas entre trabalhos domésticos, vida profissional, vida familiar, o marido, os filhos e os amigos, as Mães de hoje que vivem neste conflito, as Mães de hoje a quem são cobrados padrões estéticos, socias e até sexuais, as Mães  de hoje que desejam ser uma mistura de Barbie, Mãe do Ruca e Profissional de sucesso, uma verdadeira façanha quase impossível de  acontecer, as Mães de hoje que vivem na/e com culpa, culpa essa que as faz cometer erros em relação à educação dos filhos, as Mães  de hoje que são autenticas Mãelabaristas para conseguirem atender a todas as exigências do dia a dia, as Mães  de hoje que se esquecem de ouvir a elas próprias, as Mães de hoje que querem chegar a todo o lado e que se recusam a aceitar as suas limitações.

É verdade Mãe, nunca lavei fraldas à mão!

♥️♥️♥️♥️

14/02/2017

Feliz dia dos Namorados ♥️

Maridos, namorados, companheiros e amigos coloridos, o que é que estão a pensar a esta hora? 

Nos presentes? Nos jantar? Nos hóteis? Nas flores? Nos peluches? 

Desejosos por esta noite aposto.

Ou ainda estão a pensar que têm uma grande bota para descalçar? 

- Querida, surgiu aqui no trabalho um relatório de última hora chego mais tarde! 

- Amor, o Zé sentiu-se mal vou ter que o ir levar a casa!

- Fofinha, acreditas que me deixaram fechado no escritório! 

- Amorzinho, tu não vais acreditar nisto?! Chegou o Director Geral da China e vou ter que ir jantar com ele! 

Ajudei na tanga?! 

Como é que afinal vão dividir esse: "És o nosso grande amor"(gritado em voz cavernosa) com o vosso (este sim verdadeiro) Amor (susurrado baixinho)? 

Mulheres de Benfiquistas como é que vai ser hoje? Verdade ou consequência?

Estou solidária! 

♥️♥️♥️♥️

13/02/2017

Mas a M. ainda usa chucha?!



A M., à excepção da escola (que não o permitia), sempre fez uso livre da chucha.

Em Novembro do ano passado, no dia em que a M. fez 4 anos, decidi marcar este dia com a primeira foto que lhe tirará, que por acaso foi com chucha.

Surgiram alguns comentários como: "Mas ainda usa chucha?!" e surgiu o pedido da D. que me pediu que escrevesse sobre isto do uso da chucha pois a sua filha C. também estaria perto de fazer 4 anos e também estava dependente do uso da chucha.

Como em tudo na maternidade este é um assunto em que há opiniões diversas e começa logo assim que o bebé nasce: 

- "Não lhe ofereças chucha enquanto não souber mamar". 

- "A chucha deve ser reservada para os momentos em que o bebé a solicitar para se tranquilizar como para adormecer ou quando está mais aborrecido ou doente".

- "A partir dos 18 meses de idade o seu uso deve restringir-se à hora de dormir".

- A partir dos 2 anos e meio/3 anos no máximo a criança já não deverá usar chucha. 

E se a criança ultrapassar todos estes supostos limites?

- Vai ficar com os dentes todos tortos!

- Isso vai ter implicações ao nível da fala!

- Ai que feio uma menina TÃO GRANDE a usar chucha!  

- O seu processo de autonomia será mais lento!

Confesso que a M. fazer uso de chucha com 4 anos, não era uma situação que me agradasse, mas não fazia disto um cavalo de batalha, recusava recorrer a qualquer tipo de humilhação ou proibição, comparação com o V., fazer da chucha moeda de troca como a história do Pai Natal, fazer propositadamente um buraco para que não lhe soubesse bem evitando a todo o custo causar-lhe qualquer tipo de frustração com este assunto. 

Não queria correr o risco de que ela fosse em busca de alternativas como chuchar no dedo, optei antes por não forçar o processo e começar a prepará-la psicologicamente para o adeus à chucha. 

Comecei por lhe dizer que já fazia bolos comigo, que ajudava a por a mesa, que fazia recados na escola à Professora e que isso fazia dela uma crescida, que já estava a começar a aprender os números e as letras, que já dizia palavras em Inglês e que está quase quase a começar a aprender a ler e a escrever e que se calhar devia começar a pensar em dizer adeus à chucha. 

Este foi um processo de mentalização diária, levado com muita calma, não vale olhar para as crianças como adultos em ponto pequeno, porque não o são. O processo de mentalização leva tempo, assim como a criação de rotinas também leva tempo, e o tempo dela acabou por chegar...

no dia 25 de Dezembro quando a fui deitar ela olhou para mim e disse-me de modo natural, convicto e convencido:

- Mãe, já não quero usar mais chucha!

e nunca mais usou, e nunca mais perguntou, e nunca mais quis saber da sua chucha.

O adeus à chucha é um processo natural e vai acontecer, mais tarde ou mais cedo.

O nosso aconteceu talvez mais tarde do que é suposto mas aconteceu sem choros, sem birras, sem frustrações e exigências,

Esperar é uma virtude, também para nós Pais.♥️

♥️♥️♥️♥️

07/02/2017

Para ti MÃE de 1ª viagem!

Querida Mãe de 1ª viagem,

Ainda me lembro quando estava no teu lugar, dos medos, dos receios, das dúvidas, dos “ses ”...

Sim, tal como tu, também tinha essa necessidade de saber todas as estatísticas e explicações para o valor de cada exame e cada análise, mas acredita, basta saberes que está tudo a correr bem, confiar no Médico que te acompanha e deixar para ti assuntos como, a decoração do quarto e guardares a Médica e Enfermeira que há em ti para quando o bebé nascer.

Vive a tua gravidez com serenidade, longe de perguntas, de medos e do Dr. Google.

Controla essa tendência de querer planear tudo, o dia em que o bebé vai nascer, o tipo de parto, a amamentação em exclusivo, não te preocupes com isso do desconhecido, há coisas que só sabemos depois de acontecerem, deixa os dias acontecerem, um a seguir ao outro, um de cada vez.

Vais ter medo, da dor, do parto, da amamentação, das noites mal dormidas, da exaustão e da responsabilidade de ter de cuidar de alguém 24h por dia para o resto da tua vida.

E quando um dia deres por ti, atrás de uma porta de casa de banho a chorar, e sem saber porquê, não fiques preocupada, acredites ou não, faz parte e é normal. Aos poucos, as coisas vão entrando nos eixos, começas a criar a tua/vossa rotina, vais conseguir tirar o pijama, tomar banho, dormir 3 horas seguidas, e responder a perguntas básicas como: Como é que te chamas?

Não acredites que vais ter dificuldades para cuidar do teu bebé ou para manter a tua sanidade no turbilhão que é (sim não é mito, é mesmo!) ter um bebé em casa, pois existe uma coisa chamada instinto que nunca te vai falhar e que se vai manifestar em TODOS os momentos que precisares.

Também vais morder a língua, todas nós mordemos em algum momento, mas também está tudo bem, até porque não te podes nem te deves cobrar nunca, assim como não deves ler tudo o que existe, nem absorver tudo o que ouves sob pena de enlouqueceres com tanta opinião, conceitos e valores que tantas vezes nem vestem a tua pele, mas como a vizinha fez também vou fazer. 

Não vais nada! 

Tenha a certeza que tu vais construir a tua própria maneira de levar a maternidade e acredita, que será única, pessoal e intransmissível.

Ah sim, claro que vais andar cansada, aliás, esgotada é o termo mais apropriado, e se deres por ti a perguntar-te: “O que eu fui fazer da minha vida?” também é normal. 

Vais conseguir superar os dias difíceis, e saborear os bons, até porque, quando aquele gordo mais querido cor de rosa solta um gemido e encosta a sua mão minúscula de pele macia e cheirosa na tua pele, o teu mundo vai parar e vais esquecer tudo ali, naquele momento.

O tal amor arrebatador incondicional encantador total absoluto e integro que tudo explica é o único sentido de toda esta experiência.

E lembra-te as horas podem parecer muito longas, os dias podem parecer muito tempo, mas confia em mim quando eu digo, os anos são curtos e é mesmo, mas mesmo verdade, que passa e crescem num instante. 

Boa viagem!

Vais ser capaz ♥️ 

♥️♥️♥️♥️

06/02/2017

Vamos falar de PMA? (Procriação Medicamente Assistida)

Antes de conseguir engravidar pela 1ª vez, o que demorou quase um ano, achei que engravidar iria ser de facto um problema para mim. 

Depois engravidei uma vez, e perdi o bebé, depois engravidei a segunda vez e voltei a perder o bebé, até que pela terceira vez engravidei da M. e da quarta vez do V. 

Durante todo este processo de tentar engravidar e de engravidar e perder os bebés, em algum momento pensei que talvez pudesse ter um problema de infertilidade. 

Arrisco a dizer, que esta é uma questão que muitas mulheres colocam antes de começarem e quando estão a tentar engravidar. 

A realidade é que este acabou por não ser um problema para mim (tive outros), mas foi, e é, para amigas que me são próximas.

Da experiência que tenho, felizmente parca, sobre este assunto, este continua a ser um assunto tabu para muitas mulheres e não o deveria ser...

A IVI  (já falei AQUI sobre o Instituto Valenciano de Infertilidade), no seguimento da nova lei de PMA que permite que todas mulheres tenham acesso a tratamentos de fertilidade, AMANHÃ dia 07/02/2017 pelas 19H00 às 20H30, vão organizar uma sessão de esclarecimento no IVI Lisboa. 

A entrada é livre, mas os lugares são limitados.

Inscreva-se e partilhe!


                               

E nunca, nunca, nunca, nunca, nunca, desistam!

♥️♥️♥️♥️

26/01/2017

Eu não me chamo MÃE!

A partir do momento em que aqueles dois traços apareceram deixei de ter nome. 

Começou logo nas primeiras consultas em que lentamente as Enfermeiras me começaram a baptizar ainda que a medo: a Mãe está de quantas semanas? 

As primeiras vezes achei imensa graça e esboçava um enorme sorriso para aquele que iria ser o meu novo estatuto, MÃE!

Depois a barriga vai crescendo, e vai crescendo também a confiança das Enfermeiras: Ó MÃE esse peso está acima do que é suposto! dos Médicos: Ó MÃE isso do sushi é que nem pensar! dos Farmacêuticos: Ó MÃE o seu médico receitou isto? dos Formadores de Pré Parto: Ó MÃE vai dar de mamar certo? dos Professores de Ginástica: Vamos embora MÃE, ou não está já mortinha para por um biquíni? dos Directores das Escolas: Ó MÃE não se preocupe que se houver vaga nós ligamos!

E sem saber ler nem escrever e ainda sem ter um filho nos braços, estou empossada de um verdadeiro estatuto e baptizada com um novo nome, MÃE! 

Chega o dia do parto e... agora sim, depois de 15 horas de trabalho de parto, de bufar e me contorcer com dores: ah Valente! Muito bem! Parabéns MÃE! meia atordoada (deve ter sido do clister) é a primeira coisa que oiço ainda antes de ela chorar! 

Depois vêm as Enfermeiras outra vez com aquela conversa que o meu A. às vezes também faz: Ó MÃE deixe-me lá ver essas mamocas! Se não tivesse sido cesariana, presumo que também dissesse: Ó MÃE deixe-me lá ver esse pipi! Really?! Sounds weird! 

Mas, ainda mais weird, very weird, e que, verdadeiramente me encanita (adoro encanita), são os casais que depois de serem pais se começam a tratar por MÃE e PAI! Ó MÃE o teu filho está a chorar! Ó MÃE passa-me essa perna de frango assado que tem tão bom aspecto! Ai PAI não faças isso que estão ali os miúdos! Isto não é romântico! Nada mesmo! Acreditem em mim!

E outra coisa que eu adorava, era encontrar a Educadora da minha filha na noite (a do meu filho já me chama pelo nome ufaaa) cada uma de nós com um gin na mão, e queria ver se ela ao som do Love You Better do Crazy White Boy (adoro esta musica) e com cara de “mas esta com dois filhos sai à noite” me conseguia dizer: Olá MÃE, está boa?

Deixem o "Ó MÃE" para os meus filhos, ok? 

♥️♥️♥️♥️